As Palavras do Equinócio

“Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei”

Em 1907, Crowley começou a tradição de emitir uma nova “Palavra” a cada equinócio. Estas palavras eram enviadas a cada membro ativo da A∴A∴ (Neófito e acima). Normalmente enviados com o papel de carta pessoal de Crowley, exibindo sua “Marca da Besta” ou um lámen da O.T.O. impresso em vermelho. Algumas vezes foi enviado em papel sem marcas ou em cartas manuscritas, mas mais frequentemente datilografadas em pequenos pedaços de papel de carta. 

O modo pelo qual Crowley recebia cada uma dessas Palavras de oráculo variava de equinócio para equinócio. Enquanto muitas derivavam da utilização de algum tipo de rito de magia sexual, não havia consistência no método. Algumas vezes a Palavra era escolhida dias antes do Equinócio em si em outras após ele – trabalhando solitariamente ou com outros. Algumas vezes, ele “ouviria” a Palavra, em outros casos a Palavra seria dada por um assistente ou recebida em uma visão. Existe também um Ritual em verso da Cerimônia do Equinócio que incorpora aspectos do ritual do Neófito, que permanece sem ser publicada, que era utilizada por Crowley em certas ocasiões. Nos dias de hoje, muitas linhagens continuam com essa tradição, de um jeito ou de outro.

Crowley anexava à Palavra do equinócio um Oráculo e um Presságio, uma prática que ele começou no início dos anos 20. O Oráculo era escolhido via bibliomancia. Ou seja, ele abriria um Livro Sagrado em uma página aleatória (frequentemente o Liber AL) e usando seu dedão ou um anel  (as vezes apenas derrubando seu anel de Ankh-af-na-khonsu sobre a página aberta), e onde seu dedo ou anel repousasse estaria o Oráculo dado para aquele Equinócio. O Presságio era uma leitura de I Ching utilizando um método único desenvolvido por Crowley (para mais detalhes, leia o artigo As Varetas de I Ching de Crowley na nossa “Cripta”).

Eu compilei uma lista quase completa dos três aspectos – sendo as Palavras, Oráculos e Presságios dos Equinócios de cada ano de 1907 até a morte de Crowley em 1947. Esta é a lista mais completa publicada até hoje. Até agora todas as 82 Palavras foram identificadas, 49 dos 54 Oráculos dos Livros Sagrados e 42 dos 51 Presságios do I Ching.


1907: Primavera – Catena
1907: Outono – Amphora
1908: Primavera – Opleis(?)
1908: Outono – Belluim(?)
1909: Primavera – Perdurabo
1909: Outono – Audio
1910: Primavera – ayata(?)
1910: Outono – Credo
1911: Primavera – Inero
1911: Outono – Keacota
1912: Primavera – Sanctum
1912: Outono – Snake
1913: Primavera – JAHBVLON
1913: Outono – Peotos
1914: Primavera – Poliax
1914: Outono – N.O.X.
1915: Primavera – DUPLEX (dado em enoquiano DUPLXX)
1915: Outono – Nebulae
1916: Primavera – Sol-Om-On
1916: Outono – Saggitae
1917: Primavera – ADNI
1917: Outono – Do what thou wilt shall be the whole of the Law
1918: Primavera – Akamrach
1918: Outono – Eleven
1919: Primavera – SA-CL =333 two words
1919: Outono – (Teh & Alko)
1920: Primavera – OCELLI
1920: Outono – Oh, so much! (Word means Plenty)
1921: Primavera – MENTULA – Liber VII.vii.42
1921: Outono – FIFTY (Teh Al-Ko)
1922: Primavera – HERU-RA-HA – AL III.70-71
1922: Outono – 93-Teth-Ayin-Ayin-Shin = 542 (Thyhs) – 49 Ko
1923: Primavera – GAMA-APPA-OPI – AL III.2 “Conquer – 2 Khwan
1923: Outono – IHI AVD (Aud) – AL II.51 “Purple beyond purple…”
1924: Primavera – NOVEM or VYHY AUR (Aud)
1924: Outono – OM  (Aum) – AL III.46 “THELEMA” – 45 Tzhui
1925: Primavera – OYVS oh! Yes! – Liber VII.vi.27 – 55 Fang
1925: Outono – YMHN – Liber LXV.v.23 – 46 Shang
1926: Primavera – Zero – AL II.24 “Fire” – 47 Kwan
1926: Outono – ISh HIR  Yes Here – Liber VII.vi.50 “my” – 22 Pi
1927: Primavera – FU – Liber VII.iii.46 – 54 Kwei Mei
1927: Outono – Cara (???) – Liber VII.iii.60 – 56 Liu
1928: Primavera – MAN – AL III.10 – 9 Hsiao Khu
1928: Outono – To Day – AL II.58 – 5 Hsu
1929: Primavera – Attention (French) – Liber VII.vi.27
1929: Outono – Viens – AL III.8 – The Tiger, no X
1930: Primavera – YLALU – AL II.43 “A feast every night…” – 37 air of air
1930: Outono – ANU – AL I.46 “Nothing” – 29 Luna
1931: Primavera – BRAShITh – AL II.72 “Strive ever to more” – 28 Ta Kwo
1931: Outono – TATARA (Fhatara) – Liber VII.vi.17 “Thou…” – 63 Ki Zi
1932: Primavera – PHILUSTRICESS – AL III.25 s of word “cakes” – 58 Tui
1932: Outono – AIND VACIMA– AL II.58 ”yea!” – 7 Sze
1933: Primavera – Silence breaking into soft music of laughter (no oracle) 13 Thung Zen
1933: Outono – KAVANI (KAANI) – AL II.9 – 31 Hsien
1934: Primavera – KRMVTh (Karmuth) – AL II.79 – 41 Sun Earth of Water
1934: Outono – QUAMAH QABLAS [Crowley note: H or B?]
1935: Primavera – Armageddon – (The Oracle and the Omen are silent)
1935: Outono – Lal
1936: Primavera – Beast – Liber VII – IV.34
1936: Outono – BAB – AL III.38 “door”
1937: Primavera – ADIL – AL 1.62 “meetings”
1937: Outono – OLVK – AL III.38 “Secret” – 63 KiZi
1938: Primavera – OIDV – AL II.15 “Not” – 41 Sun
1938: Outono – RASh ChL or SAShK AL  – AL III.38 “rays & secret” – 50 Ting
1939: Primavera – LBA LI – AL III.46 “before” – 5 Hsu
1939: Outono – W.A.R.M. (= 718) – AL III.38 – 21 Sol/fire      
1940: Primavera – AH – AL I.62 “with” – 15 Khien
1940: Outono – ROTA – AL I.56 (T-between “but” & “thou”) – 25 Wu Wang
1941: Primavera – PNChAL (Pirochael) – AL I.13 “joy” – 43 Kwai
1941: Outono – Koleso – AL I.5 “warrior lord” – 19 Lin
1942: Primavera – KUSIS – AL I.4 “infinite” – 44 Kau
1942: Outono – Thido – AL III.43 – 6 Sung
1943: Primavera – Dorafakol – AL II.54 “thou” – 45 Zhui
1943: Outono – KILIK – AL II.40 “for” (second one) – 16 Yu
1944: Primavera – KUKRI – AL 1.61 “pleasure” – 58 Tui
1944: Outono – BIKELON – AL II.53 – 55 Fang
1945: Primavera – Astarte – AL III.74 “There is” – 62 Hsaio Kwo
1945: Outono – ROTARA – AL II.22  “stir” – 55 Fang
1946: Primavera – SUHAL – AL I.37  “The Wand” – 42 YI
1946: Outono – ODAK – AL I.32  “y” – 32 Hang
1947: Primavera – Lift – AL II.12 “Thee” – 22 PI
1947: Outono – Brilliance – AL II.36 “times” – 8 PI

15682749_10210968442862707_1564516754_n

Esta amostra foi datilografada sobre o papel de carta pessoal de Crowley, medindo 14 cm x 17,8 cm, com o Cabeçalho de ‘Ex castro Nemoris Inferioris’ – An Ixx Sol in 0 degrees Aries, que é a primavera de 1946 (no entanto isso foi um erro e deveria ser a primavera de 1947). É endereçada com ‘Care Frater’ e começa e termina com os cumprimentos thelêmicos completos. Ela inclui a ‘Palavra do Equinócio’ (lift), o ‘Oráculo’ (Thee) – ambos oriundos de Liber AL (presumivelmente por bibliomancia) e o ‘Presságio’ (Pi 22). É assinada por Crowley – To Mega Therion 666 9º = 2º A∴A∴ – Não era incomum ver Crowley fazer correções ou adicionar comentários nestes formulários, que eram frequentemente preparado por outras pessoas e as vezes continham erros. Aqui vemos Crowley seguindo ao pé da letra o que está escrito em Liber AL e corrigindo as palavras originalmente datilografadas em letras maiúsculas.

“Amor é a lei, amor sob vontade”

As Varetas de I Ching de Crowley

“Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei”

O I Ching era o método de divinação predileto de Crowley e ele o utilizava regularmente, isso se não diariamente. Ele também emitia um presságio com cada Palavra do Equinócio que era enviada aos membros da A∴A∴ como uma espécie de “senha” oracular (veja o artigo As Palavras do Equinócio na “Cripta” para mais detalhes). A cópia do I Ching de Crowley era da série “The Sacred Books of the East”, Vol XVI (Oxford, 1899); traduzida por Legge e editada por F. Max Muller. Muitos praticantes podem preferir uma tradução moderna desta obra. No entanto, esta é a versão que Crowley usou por mais de quarenta anos e portanto é adequada para os pesquisadores thelêmicos que estudam as leituras de I Ching de Crowley.

Deve-se observar que frequentemente Crowley discordava das interpretações de Legge. Algumas vezes riscava seções inteiras enquanto simplesmente adicionava uma nota “Burro” ou “Vá a merda Legge”, etc., mas ele ainda assim utilizava essa tradução como uma fonte para sua própria análise. Crowley pode ter tido poucas opções já que essa era a única edição em inglês disponível na época. No entanto, a maioria das críticas de Crowley dizem respeito às perspectivas do velho êon que coloriam as interpretações de Legge.

Ao estudar os diários de Crowley, está claro que ele engajava ativamente o I Ching em sua própria busca por Conhecimento interna. “Very normally: the good hexagrams end ill, and vice-versa. View held in ancient China and a doctrine discovered independently by myself – long experience, experiment, and statistical inquiry – it is not enough to receive a good omen; one must assure it to oneself by some further ritual”. As interpretações de Crowley foram desenvolvidas através de anos de trabalho, tentativa e análise em um processo contínuo. Além disso reconheceu que apenas por suas ações os Presságios se manifestariam, sejam bons ou maus.

Crowley desenvolveria seu próprio sistema único que rapidamente forma um hexagrama e utiliza apenas 6 varetas. Uma descrição deste método foi publicado no OTO newsletter Vol. III no. 9 (Verão/Agosto) – 1979 e.v.

Escrito por Grady McMurtry e parte de uma série intitulada ‘Sobre Conhecer Aleister Crowley Pessoalmente’, Grady descreve observar Crowley fazendo uma leitura enquanto o visitava em Aston Clinton durante a guerra. Se não fosse por este artigo, nós não teríamos ideia de como Crowley lia suas varetas do I Ching. Obrigado Hymenaeus Alpha.

“Eis a descrição de Grady das varetas de Crowley…

“O lado vazio é o lado masculino (Yang, energia). O lado dividido (parecia com esmalte vermelho pra mim) é o lado feminino (Yin, receptivo).  De acordo com a minha medida, elas eram menores do que 1/8 de polegada de grossura, mas um pouco mais do que 1/16 de grossura. Elas eram de mogno ou teca, ou pintadas escuro para parecer com isso. Cada vareta tem um lado Yang e um lado Yin. O jeito que Crowley as usava era chacoalhá-las (com os olhos fechados), então tirava uma de cada vez, segurando cada uma delas para cima com seu dedo indicador direito (olhos ainda fechados), obtia um sinal e baixava a vareta sobre para a direita ou para a esquerda. A primeira vareta baixada é a linha de baixo. Você também consegue obter as linhas móveis desse jeito. Se uma das varetas quiser se mover quando você a baixa, apenas empurre-a para a direita ou a esquerda conforme indicado. Pessoalmente, eu gosto deste método de obter O Oráculo. Ele dá uma chance ao Anjo para se comunicar diretamente através das pontas dos seus dedos.”

A imagem abaixo é de uma réplica moderna das varetas de Crowley, feita por um querido Irmão. Se você quiser se aproximar mais da aparência das varetas de Crowley, a madeira deveria ser de uma cor cereja escura e os quadrados em um vermelho mais escuro (medindo 4 ½” X ½” e pouco mais de um 16º de polegada de grossura)

“Amor é a lei, amor sob vontade”


15682637_10210968797991585_547064222_n